A União Africana (UA) sucedeu à Organização da União Africana (OUA), criada em 1963 e então composta por 32 Estados africanos independentes. 

A OUA foi criada no rescaldo dos primeiros processos de descolonização, integrando objetivos específicos como a promoção da união e solidariedade em África, a intensificação da cooperação, a defesa da soberania, integridade territorial e independência, e a erradicação de todas as formas de colonialismo em África.  

A OUA sofreu diversas crises e obstáculos simultâneos durante as suas primeiras décadas, que culminaram na cimeira de líderes africanos em 1999. Nesta ocasião, foi adotada a Declaração de Sirte, com a intenção de precisamente reforçar a cooperação e integração entre os seus membros, de modo a alcançar uma frente unida e capaz de lidar com os desafios do séc. XXI.  

Este processo culminou na criação formal da UA em 2002, composta por 54 Estados africanos independentes, e guiada pela visão de uma África integrada, próspera e pacífica. Os seus objetivos centrais focam-se na promoção da paz, segurança e estabilidade no continente africano, no investimento na investigação científica enquanto alavanca do desenvolvimento e no garante da participação igualitária das mulheres no processo de tomada de decisão.  

Inspirada pelo modelo institucional avançado pela União Europeia (UE), a UA é presentemente composta por diversas instituições com mandatos e jurisdição própria.  

Assista a este breve vídeo para saber mais sobre a UA, a sua história, evolução e paralelismos com a UE:  

Artigos relacionados

Uma entrevista com…
Instituto da Defesa Nacional
Instituto da Defesa Nacional – 5 Publicações para ler
Publicação da Revista “Relações União Europeia-África: Que futuro?” da Plataforma Portuguesa das ONGD